Detalhe dos objectivos de intervenção nas áreas estratégicas

Doenças cardiovasculares

O conhecimento da genética nas doenças cardiovasculares é um dos factores críticos de sucesso para a melhoria da qualidade de vida. A morbilidade e a mortalidade destas patologias justificam o interesse nesta área específica.

Os objectivos são:

a) Genómica (polimorfismos genéticos) – Foram investigadas, na Unidade de Investigação do SESARAM, 15 variantes genéticas em cerca de 2000 indivíduos (1000 doentes coronários e 1000 controlos normais). Os polimorfismos estudados são: Enzima de Conversão da Angiotensina (ECA I/D), Angiotensinogénio (AGT235 M/T), Recetor I da Angiotensina II (ATIR1166 A/C), Paraoxonase (PON 1 55L/M, PON 192 Q/R), Metiltetrahidrofolato Redutase (MTHFR 677 C/T, MTHFR A1298C), Proprotein convertase subtilisin/kexin type 9 (PCSK9 A/G), Taste receptor type 2 member 50 (TAS2R50 A/G), locus 9p 21 (rs 1333049 G/C), Apo E-ε4/ε4, Gap junction alpha-4 protein (GJA4 C/T), hepatic nuclear factor 4 (HNF4 A C/G), Transcription factor 7–like 2 (TCF7L2 C/T), Fat mass and obesity associated (FTO A/C);
b) Desenvolvimento da Farmacogenética – Estudo (fase III) “ODISSEIA” promovido pela Farmacêutica Sanofi-Aventis com um fármaco inovador, o SAR236553 um anticorpo monoclonal totalmente humano que se liga ao PCSK9, inibindo-o e bloqueando a ligação deste ao recetor das LDL, libertando estes recetores e diminuindo os níveis plasmáticos de lipoproteínas de baixa densidade (LDL- C).

Doenças oncológicas

A nanomedicina tem por objectivo a monotorização, controle, construção, reparação, defesa e melhoramento de todos os sistemas biológicos humanos, trabalhando a partir do nível molecular, usando nanodispositivos e nanoestruturas com o objectivo último de obter benefícios médicos para os pacientes. Encontra-se subdividida em cinco categorias:

a) Técnicas analíticas
b) Nanoimagem
c) Nanomateriais e nanodispositivos
d) Novas terapéuticas e sistemas de entrega de fármacos,
e) Aspectos clínicos, toxicológicos e de regulamentação

O impacto social das doenças oncológicas, associado à existência na RAM de uma experiência acumulada na área da síntese e caracterização de endrímeros/nanopartículas metálicas e no desenvolvimento de novas técnicas analíticas para a detecção precoce de biomarcadores do cancro (experiência susceptível de vir a originar produtos comercializáveis), bem como as prioridades definidas a nível nacional e comunitário, levou à identificação de campos prioritários a desenvolver dentro da área das doenças oncológicas, nomeadamente:

a) Desenvolvimento de materiais à base de dendrímeros/nanopartículas metálicas para entrega de fármacos e para a imagiologia médica.
b) Desenvolvimento de técnicas analíticas para a identificação de marcadores do cancro.

Doenças Genéticas/ Doenças Metabólicas

A investigação na área das doenças metabólicas de origem genética (doenças raras) é de notável interesse dada a prevalência elevada de algumas destas doenças na RAM e a falta de tratamento efectivo da maioria. O estudo da sua patofisiologia e a intervenção preventiva, diagnóstica e terapêutica constituíram uma das áreas de investigação médica suportada pelo 7o Programa-Quadro da EU. Estas doenças, dada a sua complexidade, servem também de modelos para o estudo de mecanismos patofisiológicos de doenças comuns.

Considerando a experiência adquirida nesta área, nomeadamente em tecnologias translacionais de genotipagem, sequenciação, análise de biomarcadores, -ómicas, pretende-se:

I) Contribuir para o estudo dos mecanismos das doenças raras com maior prevalência
II) Testar novas abordagens de diagnóstico e de terapêutica
III) Estudar vias metabólicas responsáveis pelas doenças metabólicas crónicas (cardiovasculares, oncológicas, neurodegenerativas).

Doenças emergentes

O nosso contexto geoestratégico associado às alterações ambientais desencadeia alterações no portefolio das patologias patentes nas populações humanas. O efeito “borboleta” e a facilidade de transporte de vetores (animais e humanos) impõem uma abordagem inovadora e evolutiva da saúde humana. Os objetivos serão a criação de um modelo transversal de I&D, abordando a vertente saúde, turismo e da economia. Alavancada na experiência existente nesta e nas outras áreas, por recurso a parcerias e a todas as ferramentas disponíveis e a criar (e.g. Laboratório de Recursos Partilhados e Serviços em Saúde, genética, nanomedicina e nanotecnologias), pretendemos desenvolver sistemas para a detecção de agentes biológicos e desenvolver agentes sintéticos, capazes de atuar de forma pró-activa e científica, sobre os vectores mais comuns responsáveis pelo surgimento de novas patologias na região.

Deixe uma resposta

Top