Objetivos estratégicos e prioridades de investigação na área

A análise da área da biodiversidade e sustentabilidade demonstra que existem condições únicas para o desenvolvimento de IDT+I, abordando problemas que enquadrem as necessidades e especificidades da RAM e visem dar resposta aos desafios de desenvolvimento científico e tecnológico, societais (Horizon, 2020), e de sustentabilidade da região (ENDS). O programa Horizon 2020 aponta 6 desafios societais que irão ser determinantes na definição da estratégia europeia de investimento em IDT+I. A área da biodiversidade e sustentabilidade desempenhará um papel determinante para resolução dos seguintes desafios:

  • Segurança alimentar, agricultura sustentável, investigação marinha e marítima e bioeconomia;
  • Alterações climáticas, ação climática, eficiência na utilização de recursos e matérias-primas;
  • Saúde, alterações demográficas e bem-estar.

O enquadramento da ÁREA também realçou um conjunto de ameaças e constrangimentos, que implicam a necessidade de um reforço claro de IDT+I em Biodiversidade e Sustentabilidade, até 2020. Este reforço deverá refletir-se nos recursos materiais e humanos disponíveis, no financiamento das entidades do SCR e na sua articulação em torno de programas de ação. Estas entidades devem ser chamadas a liderar os programas de investigação a desenvolver, pois reúnem o know-how e as condições necessárias para a sua implementação e acompanhamento em tempo real. Assim, tendo em atenção os desafios comunitários, as necessidades regionais e os constrangimentos financeiros, de recursos humanos e infraestruturas, propõe-se para o período de 2014 a 2020 concentrar a ID+T na área, em torno dos seguintes objetivos estratégicos:

  • Prospeção e avaliação da biodiversidade e dos recursos genéticos, garantindo o seu uso sustentado em prol do desenvolvimento de uma bioeconomia baseada no conhecimento.
  • Proteção, conservação e monitorização da biodiversidade e dos ecossistemas terrestres e marinhos para a gestão integrada e sustentável do território.
  • Avaliação dos impactos climáticos e ambientais sobre a biodiversidade, recursos genéticos e produtividade dos ecossistemas terrestres e marinhos.

Estes objetivos são aqueles que melhor se coadunam às necessidades e aos desafios atuais da Região nesta área, realçando as peculiaridades da sua biodiversidade e ecossistemas, enquanto fatores diferenciadores do património natural e do destino turístico da Madeira face a outros destinos competidores. Permitem ainda direcionar a investigação para questões atuais da biodiversidade, como a adaptação às alterações climáticas ou a utilização dos recursos genéticos na diversificação da economia e sustentabilidade da Região, criando uma oportunidade para posicionar a Região na vanguarda dos estudos sobre a multifuncionalidade dos ecossistemas. Consequentemente, têm que ser concebidos e implementados programas de ação enquadrados nestes objetivos que permitam uma avaliação de toda a estratégia desenvolvida para dar resposta aos compromissos assumidos a nível regional, nacional e internacional.

O objetivo último da área será a reunião de condições, que permitam a criação de um “cluster” agregador do maior número possível de investigadores, entidades de C&T e empresas em torno do desafio de transformar a Madeira numa região sustentável, com uma bioeconomia pujante, diferenciadora do destino turístico, baseada no uso eficiente dos recursos endógenos e que permita a atração do maior número de investigadores e estudantes de cursos avançados.

Deixe uma resposta

Top