Anexo – Análise SWOT da área

Tabela 2. Análise do estado da arte do setor ou área temática, pontos fortes, pontos fracos, ameaças e oportunidades

Pontos Fortes Pontos Fracos
  • Ligações internacionais de grande parte dos investigadores
  • Existências de investigadores nas mais diversas áreas da biodiversidade
  • Elevada biodiversidade e elevado grau de endemismo
  • Ecossistemas insulares de grande interesse científico
  • Sistema ecológico de dimensão adequada que permite testar modelos evolutivos e climáticos
  • Reduzida cooperação entre centros I&DT+I, e entre estes e empresas
  • Reduzida dimensão financeira das empresas regionais para patrocinar I&DT+I, quer em projetos de parceria quer através da lei do mecenato
  • Organização insuficiente dos centros/serviços de investigação da administração pública regional para desenvolver I&DT+I de forma competitiva
  • Mecanismo de gestão financeira dos centros/serviços de investigação da administração pública regional demasiado complexos e demorados e inadequados para uma gestão eficiente dos projetos de I&DT+I
  • Inexistência de uma carreira de investigação fomentadora e dinamizadora de I&DT+I e que agregue os investigadores doutorados dos diversos centros/ serviços de investigação da administração regional/ local
  • Inexistência de uma estrutura organizacional cujo objetivo primordial seja a I&DT+I, agregando os investigadores dos diversos centros/ serviços de investigação da administração regional/ local
  • Ausência de acesso dos investigadores dos centros/ serviços da administração regional às bases de dados internacionais de artigos científicos
  • Grupos de investigação de pequena dimensão
  • Conjuntura económico-financeira regional, nacional e internacional
Oportunidades Ameaças
  • Definição de um objetivo estratégico global para a I&DT+I e de um conjunto de prioridades estratégicas
  • Enfoco do financiamento a projetos que incidam nas áreas a estratégicas definidas
  • Privilegiar um programa de financiamento a projetos que envolvam equipas de pelo menos duas instituições regionais
  • Aumento da capacidade produtiva através da criação de uma carreira de investigação que incorpore os investigadores doutorados existentes na RAM
  • Criação de um Conselho Regional de I&DT+I cujo objetivo primordial seja dinamizar e fomentar a I&DT+I à semelhança do que acontece numa dimensão nacional em vários países da UE (ex. NERC – UK, CSIC – Espanha, cujo objetivo primordial seja a I&DT+I)
  • Dotar um Conselho Regional de I&DT+I ou outro organismo similar com os mecanismos adequados à gestão financeira de projetos de I&DT+I
  • Maior intercâmbio entre empresas (regionais/ nacionais/ internacionais) e centros/serviços de I&DT+I
  • Estratégia para a biodiversidade da União Europeia e respetivos mecanismos de financiamento
  • Ultraperiferia
  • Fraco investimento
  • Pouca tradição e cultura de I&DT+I ao nível político e empresarial
  • Persistência de organização inadequada do sistema regional de I&DT+I

Deixe uma resposta

Top